Clima Organizacional

Conflitos laborais: 4 conselhos para os solucionar

As diferenças e conflitos laborais entre os funcionários de uma organização ocorrem com frequência. Na nossa vida, os conflitos podem ser usados ​​para mudar as coisas que estão sendo feitas de forma errada e corrigir a direção, mas quando essas diferenças surgem entre os funcionários da empresa, a sua resolução não pode ser evitada ou adiada.

Independentemente do tamanho da empresa, mesmo os menores inconvenientes podem se tornar problemas com consequências negativas para o clima laboral e a produtividade da empresa. Diante dessa situação, gerentes e responsáveis de departamento devem analisar a situação, ouvir as partes e tomar a melhor decisão para resolver o problema e melhorar o clima para a organização e seus membros.

Por esta razão, hoje trazemos 3 dicas práticas para resolver os conflitos laborais que possam surgir entre colaboradores da organização:

1. Reunir com as partes:

Marcar uma reunião para as pessoas envolvidas na discussão e ouvir atentamente seus argumentos é um bom começo para abordar o problema, permitindo que eles discutam entre si e exponham suas opiniões frente a frente é importante. A ideia é que cada uma das partes dê sua visão da situação e defende sua posição com respeito e com argumentos válidos.

Depois de permitir que eles conversem e discutam o problema, a situação pode ser calmamente analisada e, nesse momento, os envolvidos podem perceber que a solução não é tão complicada quanto parece e chegar a um acordo rapidamente, senão, então a reunião servirá para que o superior tenha informações suficientes para resolver o problema.

2. Não tomar partido:

Quando existem problemas entre os funcionários da empresa, a situação não deve ser tomada de forma leve e a solução não deve ser apressada. Estamos falando de conflitos entre os membros do talento humano da empresa e, portanto, a parte mais importante do negócio.

A ideia é que os funcionários trabalhem sempre lado a lado para alcançar as metas corporativas. Por esse motivo, devemos ouvir os motivos de cada um dos envolvidos com o tempo e a calma necessários para resolver o problema. Para tomar a decisão, deve levar em consideração e analisar as razões expostas por cada pessoa e a validade de cada argumento.

A mensagem que deve ser transmitida à equipe é que quando existem conflitos internos, a decisão de resolvê-los é feita ponderando a validade dos argumentos e não de acordo com a amizade ou a confiança que existam. Devemos lembrar que as opiniões de cada colaborador são igualmente válidas e devemos parar de as ouvir todas

3. Não adiantar a decisão:

Os problemas podem ser resolvidos de diferentes maneiras. Por esse motivo, não devemos pensar que uma pessoa tem razão e outra não só por causa da primeira impressão. Devemos ter em mente que cada uma das partes pode estar recorrendo a argumentos que parecem convincentes para vencer, mas isso realmente não é a solução para o problema.

Você deve ouvir cada pessoa envolvida e deixar claro que você está simplesmente reunindo informações para encontrar a solução. Se pode descobrir que o problema é puramente pessoal e não laboral e que alguma das partes quer simplesmente afetar o outro. Em qualquer caso, a decisão final deve favorecer os interesses da empresa e da equipe de trabalho, e não definir quem ganhou ou quem perdeu a disputa.

Em conclusão, os gerentes sempre devem estar preparados para resolver conflitos e diferenças que surgem entre seus funcionários. A chave para resolver o problema não é tomar o partido de ninguém, reuni-los e permitir que eles apresentem seus argumentos, escutem atentamente e tomem a decisão correta e não permitam um ambiente de trabalho hostil para toda a força de trabalho.

Avalie o desempenho de sua equipe facilmente e aumente a produtividade e a retenção de talentos em sua organização