Produtividade

4 Conselhos para fazer um processo de feedback construtivo

Em um post anterior falamos sobre feedback e definimos como o processo comunicativo com base nos resultados que podem dar aos funcionários as informações necessárias para fazer as alterações necessárias para melhorar seus pontos fracos e consolidar suas forças laborais.

Um processo de feedback bem concebido implica que os responsáveis percebam como comunicar aos funcionários de forma construtiva e amigável os pontos fortes e fracos que foram identificados no desempenho das suas funções, de modo que essas fraquezas se tornam em oportunidades de melhoria e de crescimento laboral e pessoal.

No entanto, apesar da importância da implementação de feedback como uma prática que gera satisfação e confiança na equipe de trabalho, muitos dos diretores de organizações não sabem como fazê-lo corretamente e muitas vezes têm dificuldades para comunicar com seus funcionários.

Os responsáveis ​​pela condução do processo deve entender que as empresas são feitas de pessoas com qualidades e critérios muito diferentes e que, por esta razão, a capacidade de fazer críticas e elogios de forma construtiva e respeitosa é vital para aumentar a produtividade organizacional e contribuir para melhorar significativamente o desempenho laboral dos empregados.

Aqui seguem 4 conselhos para realizar um processo de feedback amigável e construtiva:

1. Reconhecer o esforço:

Reconhecer o esforço e o trabalho bem feito por funcionários é fundamental para o processo de feedback ideal. Por vezes, os chefes se esquecem de reconhecer as coisas boas sobre seus empregados e se concentram apenas em seus erros e fraquezas. O reconhecimento das tarefas bem feitas é vital para manter a equipe de trabalho motivada e satisfeita com seu trabalho.

2. Gerir a linguagem:

Entre em contato com o funcionário com a dignidade e o respeito que merece é a base de um processo de feedback produtivo. Evite realizar críticas pareçam ataques aos colaboradores e deixe de lado qualquer problema ou questão pessoal que tenha com a equipe, lembre-se não misturar estas questões com o trabalho. Discutir os temas que fazem a diferença para seus funcionários e escutá-los atentamente fará com que se sintam valorizados e que entendam que se pode chegar a um acordo que beneficie ambas as partes.

Avalie o desempenho de sua equipe facilmente e aumente a produtividade e a retenção de talentos em sua organização

3. Permitir o debate:

É importante que responsável por realizar o feedback admita quando não estiver entendendo de que maneira um parceiro está fazendo seu trabalho, por exemplo, quando você não compreende as razões para mudar sua forma de realizar as tarefas e os motivos pelos quais não está cumprindo suas metas, e transmita-o diretamente. É necessário abrir o debate e informar o funcionário que não concordam com suas ações para que ele possa expôr seus argumentos e, finalmente, chegar a um consenso, a fim de melhorar a produtividade tanto da empresa como do empregado.

4. Sensatez:

Não é recomendável que simplesmente exijamos aos colaboradores consertar algo que não está funcionando. O ideal seria que, tanto o patrão como o empregado se sentem para revisar cuidadosamente as causas do erro e as possibilidades para corrigi-lo. Quando o feedback é feito com critério e de forma sensata, o empregado vai entender seus erros e sei que você deve fazer para evitar cometê-los novamente no futuro. A chave é não se limitar a resolver os problemas, mas para entender como evitar problemas futuros.

O processo de feedback realizado com cuidado gera confiança e satisfação na equipe, que se sente valorizada e entende que é parte fundamental no processo produtivo da empresa.

Os responsáveis ​​por dar feedback aos seus funcionários devem fazê-lo com o máximo de respeito e precisão para que sua imagem reflita uma perfil de credibilidade entre os funcionários e permitir manter um clima laboral positivo, produtivo e satisfatório.

Avalie o desempenho de sua equipe facilmente e aumente a produtividade e a retenção de talentos em sua organização