Recursos Humanos

Os 100 melhores CEOs do mundo segundo a Harvard Business Review

A revista americana Harvard Business Review, publicou a terceira versão de seu relatório anual sobre os 100 melhores CEOs do mundo. A publicação especialista em investigação e desenvolvimento de gestão empresarial incluiu 3.143 CEOs de 37 países em seu estúdio e não apenas tomar em conta os resultados financeiros de sua gestão mas também suas habilidades em termos de responsabilidade social e desenvolvimento sustentável.

O estudo avaliou o desempenho a longo prazo de cada diretor geral, desde o primeiro dia de trabalho até à saída do cargo, ou para CEOs que continuam no cargo até 31 de agosto de 2012, último dia da coleta de dados. Para isto analisou o total dos dividendos que os accionistam tenham obtido por parte da empresa durante esse período e o aumento da capitalização da empresa no mercado.

Para a primeira versão do estudo em 2010 foram tomados em conta os CEOs das empresas presentes no índice Global 1200 da Standard & Poor’s, que inclui as melhores empresas dos 31 países com melhor PIB e abarca 70% do mercado de capitais do mundo e as empresas presentes no índice BRIC 40 da Standard & Poor’s, que inclui as 40 empresas líderes dos mercados emergentes de Brasil, Rusia, Índia e China. Para esta versão se incluiram ainda outros 3 índices de mercados emergentes, passando de um grupo de estudo de 1.999 CEOs na primeira versão para 3.143 na atual.

A maioria dos estudos utiliza a reputação, a fama e os inquéritos de opinião para classificar o desempenho dos CEOs, neste caso Harvard Business Review utiliza o rendimento individual de cada diretor executivo, os balanços financeiros, a solidez dos resultados a longo prazo e os lucros para os accionistas. Outros indicadores, como as vendas, a rentabilidade, e as taxas de inovação, são úteis também, mas diferem em cada setor e indústria, o que dificulta as comparações.

Consulte os 100 melhores CEOs do mundo segundo o estudo da Harvard Business Review:

Steve Jobs, cofundador da Apple, continua a ser o melhor CEO dois anos após a sua morte, e é paradoxalmente o único dos 100 que não tem um título universitário, os outros 99 têm, 38 deles estudaram nos EUA e os outros 61 noutro país, curiosamente apenas 29 dos 100 CEOs obtiveram um MBA. 97% estão casados com uma média de 3 filhos.

Apenas dois dos 100 CEOs da lista são mulheres, Margaret Whitman, da Hewlett-Packar no 9º lugar, e Dong Mingzhu da Gree Electric Appliance (China) em 98º. Das 100 empresas do ranking 34 são dos Estados Unidos, 12 do Reino Unido, 9 do Brasil, 8 da Índia, 6 do Canadá, 3 de México, 3 da China, 3 do Japão, 3 de Hong Kong, 3 da França e os restantes 16 de outros países. Roger Agnelli (da brasileira Vale) é o único sul americano no top 10. Apenas três países da América do Sul integram a lista: a Argentina (1 no número 23), Brasil (9, o melhor no número 4) e o Chile (1 no número 85).

A industria com maior representação é da energia com 15 empresas, seguida da dos bens de consumo com 12 empresas. O dado mais chamativo, no que se refere à gestão do talento humano, indica que 79 dos 100 CEOs foram promovidos dentro da empresa e apenas 17 foram contratados externamente, os 4 restantes são os fundadores de sua empresa.

Avalie o desempenho de sua equipe facilmente e aumente a produtividade e a retenção de talentos em sua organização