Recursos Humanos

Os 7 pecados capitais de um Diretor de Recursos Humanos

As mudanças dramáticas e os novos desafios de negócios que geralmente surgem em tempos de crise econômica têm um forte impacto nas organizações e seus resultados. A desconfiança dos mercados de valores, a redução dos fluxos de capital e as baixas taxas de consumo se tornam em problemas não só para a área financeira, mas também na administração do talento humano.

No meio deste panorama, a empresa do recrutamento executivo Korn / Ferry International revelou as conclusões de um estudo que indica que as condições básicas para melhorar a produtividade e aumentar a competitividade das organizações são três. O primeiro é alcançar e melhorar constantemente o seu melhor talento humano, o segundo é manter os funcionários totalmente comprometidos e alinhados com os objetivos e valores da organização e o último é sempre manter o melhor talento humano dentro da organização.

Para manter essas três condições é preciso um departamento de recursos humanos atualizado e capaz de gerenciar efetivamente o talento humano com agilidade e flexibilidade para se adaptar às mudanças. Diante da enorme responsabilidade que deve ser assumida diante desses novos desafios, a Korn/Ferry International diz com respeito à gestão de recursos humanos que “somente quem traz valor ao negócio, é valorizado pelo negócio”.

Existem vários erros que não devem ser feitos pelos líderes dos departamentos de recursos humanos das organizações ao adotar as estratégias necessárias para responder a mudanças, potenciando a manutenção e comprometimento do talento humano da organização com a empresa. Novos desafios e novas exigências devem ser resolvidos com ferramentas e estratégias ágeis, inovadoras e precisas. Aqui seguem os 7 principais:

1. Se concentrar apenas no seu departamento:

Pensar que, por gerir o departamento de talento humano está isento de entender a dinâmica comercial que a organização gera é o erro mais grave de todos, os líderes de recursos humanos deveriam ser capazes de explicar a qualquer pessoa os portefólios de produtos e serviços oferecidos pela organização. Não precisa ser um especialista no assunto, mas deve entender a dinâmica do negócio e ser capaz de propor futuras estratégias que vão de encontro ao bem-estar do talento humano.

2. Se fechar no escritório:

Não produzir efeitos positivos ou não motivar o pessoal é outro problema na gestão de recursos humanos. Os gerentes do RH devem buscar desafios para promover mudanças que envolvam contato direto com a equipe para motivar e fazer com que os funcionários sintam que são uma parte importante e ativa do processo, para melhorar a produtividade da empresa, esse ponto é fundamental para que todos os funcionários sigam a mesma direção e atuem juntos.

3. Não praticar os valores da organização:

O líder do departamento de recursos humanos deve ser um modelo dentro da organização, deve se tornar o reflexo mais fiel dos valores e princípios que são exigidos e esperados dos colaboradores. Sendo a pessoa que lida diretamente com o talento humano, o líder do RH deve atuar com firmeza e o máximo respeito para gerar a confiança e a motivação necessárias para os trabalhadores.

4. Evitar decisões complexas:

Deixar de lado e ignorar os conflitos internos da equipe é um grande erro dos líderes do RH, os momentos negativos e os problemas que surgem devem se tornar oportunidades para fazer as correções necessárias e consolidar um ótimo ambiente de trabalho na empresa. Mudanças e problemas exigem a tomada de decisões complicadas, ser capaz de lidar com elas mesmo quando requer medidas como demissões ou cortes é parte fundamental do processo.

5. Não separar as relações pessoais das laborais:

Tratar os colaboradores de acordo com o grau de amizade ou relacionamento que você tem com cada um deles é uma questão que poderia gerar problemas internos na organização. Os líderes do RH devem deixar seus relacionamentos pessoais ou preferências de lado ao tomar decisões ou avaliar aspectos que comprometam a estabilidade do trabalho da empresa.

6. Desaproveitar o talento dos funcionários:

Não motivar os colaboradores para que eles dêem seu melhor em seu trabalho é um grande erro dos líderes do RH. Deveriam desenhar um esquema de cargos dentro da organização que possibilite aproveitar as melhores capacidades de cada colaborador e criar um modelo ágil e flexível capaz de se adaptar aos desafios do mercado.

7. Avaliar o pessoal com base em percepções:
Avaliar o desempenho da equipe e suas competências de acordo com as percepções pessoais é outro aspecto que os líderes do RH devem evitar. Uma avaliação quantitativa com indicadores sólidos permite conhecer verdadeiramente os funcionários, compreendê-los, ajudá-los a melhorar e ser flexíveis e compreender a sua adaptação às suas necessidades e melhorar seu desempenho.

Avalie as competências de seus colaboradores e aumente a produtividade em sua organização