Recursos Humanos

Quando utilizar o mentoring em sua organização?

O mentoring é uma metodologia que perdurou durante anos como ferramenta para facilitar os processos de aprendizagem. Atualmente, é utilizado no âmbito empresarial, em situações como retiros, transferência de conhecimento técnico, fomento de competências ‘leves’ (soft-skills) ou como mecanismo de adaptação dos novos trabalhadores na organização.

Geralmente, se estabelece uma relação entre duas pessoas, geralmente, uma com grande experiência e conhecimento em um campo do saber (mentor) e alguém que busca adquirir esse conhecimento (aprendiz). O propósito desta relação é o crescimento e desenvolvimento do aprendiz a partir da aquisição de habilidades e competências associadas a um desempenho excecional no campo de conhecimento do seu mentor.

De seguida, mencionamos três situações em que o mentoring pode ser uma boa opção para sua empresa:

Adaptação a ambientes laborais

Feita através de uma modalidade do mentoring conhecida como peer-level mentoring. É uma técnica que é aplicada para facilitar a adaptação das pessoas ao novo ambiente laboral. Consiste em definir um colaborador do mesmo nível hierárquico, independentemente da área, que acompanhe o processo de entrada da pessoa na empresa. É então esperado que o mentor guie e aconselhe seu aprendiz com o objetivo de reduzir a curva de aprendizagem.

Gestão de emoções para potenciar soft-skills

Existem competências que são desenvolvidas na prática e através da exposição a situações específicas. Por isso é que a experiência dos membros permite aos aprendizes ter um auto-conhecimento sobre as mesmas. Uma das tarefas do mentor é motivar a reflexão em seu aprendiz, incentivando-o a melhorar suas habilidades, o que definitivamente facilitará o processo de tomada de decisões.

Outra forma de trabalhar essas emoções é através da exposição acompanhada a situações que exijam algum grau de desenvolvimento emocional como reuniões ou apresentações com clientes.

Encontre aqui: 3 Métodos para fortalecer as competências de seus colaboradores

Fechar brechas geracionais

Uma das ferramentas que pode ajudar a estreitar a relação entre os grupos geracionais que confluem nas empresas é precisamente uma modalidade do mentoring conhecida como reverse mentoring. Nesta modalidade o papel do mentor alterna, permitindo aos aprendizes ensinar o seu mentor em temas nos quais têm conhecimento especializado.

A geração millennial, por exemplo, poderia instruir os menotres babyboomers em gestão de redes sociais ou de novas tecnologias da informação para facilitar o contacto com clientes. Esta dinâmica de dupla-via propicia a disposição dos especialistas para serem mentores e também favorece uma relação mais fluida entre ambos.

Conselho: escolha cuidadosa dos aprendizes

A seleção dos aprendizes deve ser cuidadosa. Ser mentor implica uma responsabilidade adicional que ocupa tempo, experiência e talento. Por esta razão, se se quiser retirar o máximo proveito do mentoring devemos escolher aprendizes responsáveis, curiosos, organizados e eficientes que saibam aproveitar a experiência de seus mentores.

Recomendamos: 7 Passos para ser um bom mentor em sua empresa.

É vital selecionar pessoas com as competências requeridas em um nível de desenvolvimento adequado, com o fim de aproveitar o programa ao máximo. Alguns dos métodos que podem ser utilisados são: os assessment centres, entrevista de incidentes críticos ou a avaliação através de software.

As empresas começaram a ver o mentoring como uma metodologia que pode nutrir seus processos de treinamento e gestão do conhecimento, pois consegue uma redução considerável na curva de aprendizagem dos colaboradores e o capital humano se enriquece. Sem dúvida que se trata de um aliado na hora de tornar os complicados processos de gestão humana mais eficazes.

Avalie o desempenho de sua equipe facilmente e aumente a produtividade e a retenção de talentos em sua organização